sábado, 8 de novembro de 2008

a cor do silêncio

dos deslizes da noite anterior
sobrou uma toalha alva sobre a cama
e a dobra lateral do cobertor
tingidos de verdades que minha rara prudência
já não quer mais se alimentar:
deve ser teu cheiro que ainda aqui inalo.

gritei em mim um vago suspiro cor de ameixa
pela benção pobre brindo em pétalas brandas
o calor do silêncio ao meu lado

- sedenta calei de fome.

2 comentários:

Violeta disse...

os cheiros, ah os cheiros...
.
beijo
.

Um dia de cada cor disse...

"brindo em pétalas brandas" vc.

sedenta, agora, calei-me de fartura.

pode?

que inicio lindo!

/solin