quarta-feira, 19 de novembro de 2008

Vivo

Todo dia tu vens e cala minha poesia.
Com tua necessidade de prosa.
Com nosso prazer metalinguístico.
As catarses noturnas.


A exegese da tua despedida
As metáforas todas sobre as quais durmo pra acordar pra você.

3 comentários:

Clave de Sol_in disse...

há palavras q não entendo, claro. mas certos sentimentos são comuns à todos. uma coisa, assim, de língua mesmo.

Um dia de cada cor disse...

clave de sol_in diz:

vc vive e o Tu estará sempre vivo.

Violeta disse...

a rotina
.