domingo, 8 de março de 2009

A necessidade de não demostrar amor.




...Meu rosto realmente mostrava que eu não me importava mais, deixava bem claro meu deboche, mostrava desprezo... foi a expressão perfeita pra alguém que realmente não quer mostrar os sentimentos, parecia fria e seca como gelo... O que fez lágrimas correrem pelo meu rosto foi exatamente isso, a necessidade de não demonstrar amor, o sentimento guardado dentro de uma caixa com cadeado para que nunca mais fosse aberta... Eu só queria que ele entendesse que as coisas não vão ser mais como antes, que nada vai ser tão leve, suave e delicado como nos primeiros meses, no inicio de tudo... Foi um fim definitivo, não para os meus sentimentos, mais sim para nos dois, disse verdades, e deixei de dizer muita coisa com medo de ferir, e nesse passo as coisas se arrastam, eu fingindo estar muito bem só, me sentindo muito bem disfarçando a solidão com paixões platônicas de 3 semanas... E ele fingindo estar sofrendo e sentindo falta de algo que acabou sendo desgastante até para os amigos que estavam perto.


É uma pena pensar que ele acha que estou brincando com ele, ontem quando o amigo intimo dele, veio com cara de espanto me perguntar se eu ainda o amo, e ouviu a doce resposta "não sinto mais nada por ele". Ficou passando na minha cabeça por horas toda aquela situação, foi tanto tempo tentando fazer que notassem meu valor, que quando resolvi acabar com tudo o amor que eu sentia simplesmente ficou perdido no ar que me rodeia. Nem mesmo as pessoas que eu acabo de conhecer ficam livres desse veneno dele que me corre nas veias, as vezes ainda solto um pouco do amargo que ele me deixou.


Não desejar mal pra alguém que te fez tão mal, é uma arte não só pra pessoas de bom coração, mas também para aquelas que amam. Acho que ainda o amo, mas não no sentido de corpos, e sim no sentido de alma.


Ouvir que "tudo o que eu fiz vai voltar pra mim em dobro" da boca daquele "amigo" foi o que me fez chorar, porque a única coisa que eu fiz, e faço é ama-lo, mesmo não estando mais perto, mesmo não podendo demonstrar mais. Me fez chorar por perceber que ele não vê minha preocupação desligada e à distância como amor, e sim como cutucões para ferir e fazer sofrer.


Espero que ele siga a vida dele, que encontre alguém que o ame. E que aprenda o principal para ser feliz: dar valor nas pessoas.

2 comentários:

solin disse...

por aí, só percebo que tem de ser assim, por exemplo: se um ama mais, o outro ama menos, como se fosse pra [des]equilibrar.
o que não quer dizer que eu concorde.
só pecebo.

Anônimo disse...

nossa nunca perco o meu tempo lendo coisas assim mais garota vc descreveu exatamente como eu me sinto !!!!!