domingo, 22 de março de 2009

Pedaços de amor guardados em um relógio.


(Já tinha postado em outro canto, mas achei sincero o suficiente para poder ser repetido.)



Despedidas são como fatias de coração arrancadas sem dó do peito, são como pedaços de amor guardados em um relógio que não para de andar. Um dia você para e começa a ver o passado com cores vibrantes e coloridas, a lembrar até dos mínimos detalhes, e percebe que sua vida não é a mesma de dois anos, de dois meses, de dois dias, de dois minutos atrás...


Estamos sempre em constante mudança, em constante despedida de nós mesmo, talvez seja por isso que muita gente passa a ser seca com o passar do tempo, elas se despedem de si mesmas e esquecem de manter as lembranças e sentimentos sempre vivos dentro de si.


Pessoas que se vão são como rosas guardadas em uma gaveta antiga, a diferença entre a pessoa que você sempre se lembrará e a pessoa que você mal terá lembranças, esta no cheiro da rosa que continua no ar.


A verdadeira amizade é uma flor tão bela que não só o cheiro permanece no ar, mas também a sensação de mato entre os dedos após a colher em meio às flores do campo, ainda consegue se ouvir o barulho da abelha que a sobrevoa e sentir a brisa batendo em seus cabelos.


A flor da Carol, será aquela mais real que a de uma amizade verdadeira.

2 comentários:

Nádia C. disse...

UAU. Gostei muito desse texto. o titulo é ..é perfeito :)

o Blog é um passeio ao ar livre :)

solin disse...

amizade é como uma flor, e as flores têm de permanecer em seu habitat natural.
o cheiro e a imagem sim, tem de ficar com a gente.
guardada, "vendo o passado com cores vibrantes e coloridas, a lembrar até dos mínimos detalhes"

:)