domingo, 17 de maio de 2009

Apenas ame.


Como diria Dom Casmurro: " Se só me faltassem os outros, vá; um homem consola-se mais ou menos das pessoas que perde; mas falto eu mesmo, e esta lacuna é tudo."

Aonde está o eu?

Aonde eu me perdi?

Esqueci em algum lugar?

Guardei longe daqui?

Que saudade do tempo em que eu não me afogava em xícaras de café - não pelo café, mas pelo afogar.

Aquela doce época de cuidado externo...

É bom saber que ela (aquela época) bate em minha porta novamente, a paixão traz ela como companhia.

Qualquer noite dessas chamo a todos (os sentimentos), coloco eles sentados como se fossem comportados em uma mesa, e entre as refeições perguntaria coisas que sempre quis saber...

Mas nos últimos dias, tem me intrigado a pergunta que jogaria ao meu sentimento de apaixonar.

Diria: - Diga-me senhor Paixão, por que não vê cara, só vê coração?

Como sempre não entenderia minha pergunta, e dai explicaria com detalhes.

- Como pode eu amar sem notar o que todos falam? que encanto é esse que me cega? ta certo, beleza depende dos olhos de quem vê... Mas então me diga, o que faz ele ser tão especial? aquele cabelo meio grandinho macio? aqueles lábios corados, com o volume e consistências perfeitos? Aqueles olhos castanhos com um tom de amêndoa encantador? aquele sorriso lindo, que ao sorrir mostra toda a sua alma alegre? aquela barba recem-crescida com toquinhos que raspam minha pele deixando-a vermelha? aquela estatura pequena, unida a gestos engraçados, e mão fria que parece um cubo de gelo? Porque quando ele me chama de 'amor' me faz tão bem? porque eu não me importo de gastar tempo com ele? Com ele é diferente, meu eu se ajeita, entra nos eixos, larga as neuras existenciais, e as únicas neuras que tenho, são aquelas que não me importo em tê-las, pois são todas relacionadas com a necessidade de o fazer feliz. Porque me faz amar o alguém que lhe cito? Como diria minha mãe, há tantas outras opções, porque é só nos lábios dele que encontro o sabor que procuro?

Responderia:

- Esqueça disto, e apenas ame, tudo é tão inconstante, tudo flui e muda de tal maneira, que nem mesmo se lhe desse uma resposta concreta, você poderia dizer que cabe em teu caso. Mesmo sendo, no momento, oculto o significado deste, um dia, quando eu (a paixão) parar de lhe cegar, você o verá, porem não terá o sorriso no rosto que carrega nos últimos tempos. Prefira a duvida.

2 comentários:

Brenda de Oliveira disse...

Olá!
Vi seu recado em meu blog...
aquilo que disse, foi bem bom e bonito. Ainda mais da parte que disse da espera por um post.
:]

Isso faz, nem que por alguns instantes, ter mais motivação. Sabe?
Obrigada.
;*

Solin disse...

Adorei a historinha pra falar de sentimentos ^^

Concordo com o Paixão (com vc é ele, rs. adoro).
Há coisas que existem apenas para sentirmos, sem necessitar de explicações A e B, tudo isso pra ser assim:
"Com ele é diferente, meu eu se ajeita, entra nos eixos, larga as neuras existenciais, e as únicas neuras que tenho, são aquelas que não me importo em tê-las, pois são todas relacionadas com a necessidade de o fazer feliz", como você mesma disse.

e isso não contém felicidade?
:)