domingo, 6 de setembro de 2009

Atriz redundante

Talvez minha postura não seja tão polida quanto esperam os outros.
Talvez minha alegria não seja tão alegórica quanto lhe atribuem.
Meus mais esforçados olhos de esmero podem parecer de desdém, e a minha completa falta de pudor embrulhada para presente no "papel cortesia" nem sempre parece digna de aplausos da platéia.
Quase nunca me lêem como quero ser lida.

3 comentários:

Caryna Sousa disse...

"Quase nunca me lêem como quero ser lida"..

o problema de muitas d nós..

=*

Beto Macedo disse...

Disseram uma vez que você, no fim das contas, é mais aquilo que acreditam que você seja do que aquilo que propriamente é. Num mundo de imediatismo como o nosso isso faz mais do que sentido.
A sorte ta no fato de acreditar existir um algo a mais que vai olhar com mais atenção, além da mamãe, o outro lado.

Hosana Lemos disse...

então acho que estamos no mesmo barco!

bjos