domingo, 27 de dezembro de 2009

Papéis velhos

ai tá, o começo do começo.. Pode não ser o melhor, mas foi feito com tanto esmero que merece ser lido.

"Me desenhe,
Faz de mim o teu papel,
Escreve em mim tua poesia.
Faz a dança dos teus traços correrem livres com o pincel.

Faz de mim tua tela,
Pinta nela uma janela.
Janela aberta pro mundo,
Janela aberta pro fundo...

Que tua tinta me borre.
Que tuas cores me coloram.
Que teu desenho seja um broto,
Broto de amor, broto de cor...

Grava na pele uma janela,
Grava nela uma memória velha,
Daquelas guardadas no ar,
Jogadas ao vento.

Fechadas na caixa estão as lembranças,
Como folhas de um passado qualquer.
Guardadas na pele estão as esperanças.
Com os traços do desenho que quer.

Faz de mim o teu papel
Pinta em mim e céu,
Pinta em mim água,
Cobre então minhas mágoas."

Um comentário:

Magali Polida de Lascada Silva disse...

essa menina é uma coisa linda!
fofa!