domingo, 26 de dezembro de 2010

Como superar o natal:

Com um pouco de atraso, admito, mas não deixando de comparecer - o que é de fato melhor do que nada - apresento-lhes a minha completa desmotivação natalina, recheada pelo mais sincero tédio domingano.
Pós-natal é barra, chega a ser pior do que a vesperá, mais massacrante que a virada, e mais entediante que o dia em si, e não se esqueça da bela somatória, é um pós-natal no domingo! Não, não é meu pessimismo reprimido soltando suas garras, e muito menos um manifesto anti-cristo, anti-papai noel, anti-rena... É que apenas não fico encantada com toda essa magia natalina pulsante, até que fui um dia, mas as circunstâncias me ensinaram que toda vez que eu gostasse muito de algo, deveria fazer escolhas, e esse é o meu problema com o natal, eu tenho que fazer escolhas muito doloridas, sempre, essa é a regra do meu natal. Escolhas.
"Eu escolho esse ano, abrir mão dele para ficar com ela. Calma gente! Calma! Eu posso passar o dia com ele, e a noite com ela... Como assim o natal de verdade é só a virada? já sei, a gente divide a noite que tal? Metade aqui, metade acolá! E o beltrano? ué desde quando o beltrano quer que eu vá na casa dele?" - Exemplo de diálogo comum neste meu período do ano.
É por isso que a regra mesmo, é no dia 23 deitar a cabeça no travesseiro e rezar, rezar para que os dois próximos dias sejam engolíveis, e se lamentar por não conseguir se envolver tão profundamente com as árvores de natal.
No dia 26 você abre os olhos e se pergunta "e agora?", é, acabou o natal e dali uma semana vem o ano novo, martírio. No dia 26 você pensa, é domingo, e pós-natal, provavelmente na geladeira só tem comida de ontem, provavelmente na TV, só está passando filmes de renas, gente desiludida de natal que vira super bondosa, animações com um toque superficial de sentimentalismo (mas que fazem você chorar, pois as uvas passas ainda estão sendo fermentadas com as castanhas do pará - é uma reação química, e não emocional), você liga para seus amigos, metade viajando e a outra metade provavelmente vai dormir até as 15:00, menos você, que sem motivo nenhum acordou 8:30 da manhã em um domingo pós-natal.
Ótimo, o que você faz então? Vai para a internet, aaah, a magia desse mundo globalizado! Entra no msn eeee... Você tem 2 amigos online, sua tia que mora em outra cidade e te adicionou no msn para falar com sua mãe as vezes, e quando fala só conversa de coisas como: "você pode por favor me mandar um documento pelos correios?", o outro amigo, é alguém que você conheceu a algum tempo, em algum lugar que você não lembra, e adicionou por um motivo que não sabe por que... Pronto, você vai abrir seu navegador, e vai entrar na página do google. Faz algumas pesquisas sem pé nem cabeça, joga o nome completo de seus parentes para ver se acha alguma coisa, tenta decorar alguma informação curiosa para usar depois em uma conversa, ou então procura saber o que é um Isku mayti, que você leu em algum pdf por aí... Vê seus sites de relacionamentos, recados-spam e recados velhos sem responder, que você já leu, releu, e no fim das contas pensou: "já devem saber a resposta, não vou responder..." (saiba que as pessoas em um geral, esperam os recados de volta, é sério!).
Bom, você desiste, e se entrega com coragem às refeições de ontem, come frio, assistindo canais aleatórios, quanto menos te acrescentar como pessoa, mais você vai se afundar no sofá. Cansa, e o tédio vai enchendo sua alma, se for emotiva como eu, pode chorar um pouco, se for persistente pode tentar ligar para alguém e... O telefone tocou, aí mô deusu, que felicidade, corre, atende e...
"Ah sim, claro tia, claro, a gente leva sua vazia amanhã, pode deixar...", é você vai continuar no tédio.
Mas eu tenho uma receita, que vou tentar e talvez possa funcionar, vou viver ali, na solidão acolhedora e pacífica da natureza, vou buscar a paz na meditação, na natureza e quem sabe eu descole umas companhias para partilhar da paz interior?
Bom natal pessoal, tudo de bom e muita paz no coração!

3 comentários:

vanderleia disse...

perfeito isso
"vou viver ali, na solidão acolhedora e pacífica da natureza, vou buscar a paz na meditação, na natureza e quem sabe eu descole umas companhias para partilhar da paz interior? "
é exatamente o que faço nesta época de Natal.

Eu não gosto de cerveja disse...

pois é, foi o que eu fiz, funcionou, eu acho!

José María Souza Costa disse...

Passei aqui lendo. Vim lhe desejar um Tempo Agradável, Harmonioso e com Sabedoria. Nenhuma pessoa indicou-me ou chamou-me aqui. Gostei do que vi e li. Por isso, estou lhe convidando a visitar o meu blog. Muito Simplório por sinal. Mas, dinâmico e autêntico. E se possivel, seguirmos juntos por eles. Estarei lá, muito grato esperando por você. Se tiveres tuiter, e desejar, é só deixar que agente segue.
Um abraço e fique com DEUS.

http://josemariacostaescreveu.blogspot.com