quarta-feira, 10 de dezembro de 2008

Para amanhã

Vens depois dos mais longos invernos,

E é por isso que as primavera existem...

És bonito porque não aconteces todo dia

Esperas que eu me cale, e que eu me prepare

E que eu esteja pura e só, pra te sentir e prever.

E depois de cores, luzes e cheiros,

De repente tu te faz verão.

E eu que sempre fui só outono

E eu que só soube findar, recluso-me

A mais um inverno, onde rigorasamente...

... vou te esperar.

Então não sei que é da espera que a primavera é feita?

4 comentários:

Solin disse...

nesta espera, terás/tens a companhia das flores.
das cores.
de cheiros.
de branda luz.


talvez de cantos de pássaros, alguma canção.
e caminhar sem perigo,
ah sim, é uma perdição.

Raíza Rocha disse...

que lindo...

Fabianny disse...

own, lindo. e é verdade sim.

Léia Carvalho - LC disse...

e seguindo a minha linha desses dias, as vezes é bom só o esperar, o querer a primavera.