quinta-feira, 29 de abril de 2010

Sonho de liberdade

No pé de Nabuco não há correntes
A cor da pátria não é diferente
A cor da gente é a cor da alma
Nasce livre quem tem a humanidade por causa

A boa lição de vida é aquela em que a humanidade é contemplada
Bravo!
E isso se realiza quando uma nação não tem escravo
Cravo!

Um abolicionista é sensível demais pra ser gente, é a libertação de si
Bravo!
A liberdade não é uma questão de loucura ou sensatez
Está livre todo aquele que mesmo atrás das grades tem como parente íntimo os sonhos
O sonho é o que temos de mais próximo, e é plenamente livre quem sonha
Não é escravo!

Diz a alma que o tempo da mente não é o tempo da gente
Einstein diz ainda que o tempo é relativo, então que cem anos são esses? Calma. É o tempo consciente.

E dentre tanta gente
Da minha parte, me cabe: Poesia, arte
Da de Nabuco: Pernambuco, o mundo

Joaquim foi da idade dele, sim
E continua sendo. Cedo. Porque a aurora se chama humanidade.
Cravo. Do verbo.

5 comentários:

Caracol Menina disse...

!
Bravo!
!!!!!!!!!!!!!!

Anônimo disse...

!
Bravíssimo!
!!!!!!!!!!!!!!!!

Caracol Menina disse...

calma, Anônimo. É apenas um belíssimo poema :D

^^

camila gibbs disse...

AHHHHHHHHHHHHH...BRAVÉRRIMO....ESTUPENDAMENTE LINDOOOOOOOOOOO

Magali Polida de Lascada Silva disse...

Thanks, Camila.
:)